Quanto o YouTube paga por visualização? Saiba como monetizar seus vídeos na internet

Se você é um influenciador digital ou quer se tornar produtor de conteúdo, o YouTube é uma das primeiras escolhas para compartilhar conhecimento dando aulas ou consultorias online. Para isso, é fundamental produzir conteúdo de qualidade para criar o seu público e ganhar uma renda extra na internet.

Monetizar os seus vídeos nada mais é do que ganhar dinheiro com eles. No YouTube, os vídeos ativos para monetização rodam propagandas que geram uma quantia em dinheiro para o criador de conteúdo. Porém, os critérios de monetização mudam com frequência, o que fez com que muitos youtubers fossem prejudicados. 

Como ganhar dinheiro no YouTube?

O Programa de Parcerias do YouTube (YPP, na sigla em inglês) oferece aos criadores de conteúdo acesso aos recursos e funcionalidades da plataforma, o que inclui as formas de ganhar dinheiro com produção de vídeos. No entanto, para participar do programa é preciso passar por um processo de análise que, segundo um aviso publicado no site em 8 de março de 2019, diz que as inscrições demoram mais de um mês para serem aprovadas. 

Os requisitos para se tornar membro do programa são:

  • Seguir todas as políticas do Programa de Parcerias do YouTube;
  • Residir em um país ou região onde o Programa de Parcerias do YouTube está disponível;
  • Ter mais de 4 mil horas de exibição pública nos últimos 12 meses;
  • Ter mais de mil inscritos;
  • Ter uma conta do Google AdSense vinculada.

Antes de falarmos sobre o valor por visualização dos vídeos, é preciso entender que o YouTube oferece as seguintes formas de monetização:

  • Receita de anúncios: os donos dos canais recebem pela veiculação de anúncios gráficos, de sobreposição e em vídeo;
  • Clubes dos canais: os membros realizam pagamentos mensais em troca de benefícios oferecidos pelos donos dos canais;
  • Estante de produtos: os fãs e seguidores podem ver e comprar os produtos oficiais do canal que são divulgados nas páginas de exibição;
  • Super Chat: os fãs dos canais pagam para que as mensagens apareçam em destaque no feed de bate-papo;
  • Receita do YouTube Premium: os donos dos canais recebem parte da taxa de assinatura de um membro do YouTube Premium quando ele assiste ao conteúdo.

Porém, desde 2017, as regras para monetizar os vídeos se tornaram mais rígidas. Com isso, canais menores passaram a ter dificuldades para ganhar dinheiro e muitos criadores de conteúdo decidiram parar de produzir para a plataforma. 

Quanto o YouTube paga por visualização?

O pagamento no YouTube é feito em dólares a partir do CPM – custo por mil. Ou seja, a cada mil views, o dono do canal pode ganhar entre 0,25 e 4,50 dólares, no Brasil, entre R$ 0,80 e R$ 15. Esse valor é definido pelo YouTube, que tem sofrido diversas críticas por funcionar a partir de um sistema que privilegia a plataforma e os anunciantes ao invés do produtor de conteúdo. 

É importante destacar que se você tiver um vídeo com 1.000 views, por exemplo, você não necessariamente irá receber o valor de 1.000 visualizações, já que a plataforma conta como view apenas os cliques em um anúncio (se for em vídeo, um view só é contabilizado se o usuário assistir a pelo menos 30 segundos do conteúdo). 

Assim, para um criador de conteúdo ganhar dinheiro no YouTube é preciso produzir muitos vídeos e garantir que todos tenham grande quantidade de visualizações.

Como ganhar dinheiro com videoaulas?

No Addwisers, você pode dar aulas e consultorias ao vivo e definir o preço que será cobrado para cada atividade. Não é preciso pagar para se cadastrar no portal, mas é calculada uma taxa de 15% sobre as atividades realizadas. Para receber o valor, você só precisa cadastrar suas informações bancárias, pois o portal fornece as ferramentas de pagamento e recebimento com toda a segurança para os professores e alunos. 

Para ser um addwiser, cadastre-se no nosso site ou entre em contato para tirar suas dúvidas.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *